Ferramenta Avançada de Planificação de Dados (ENDE/NSDS)

Contextualizaçã

Em 2016, PARIS21 introduziu a sua Ferramenta Avançada de Planificação de Dados (ADAPT) em 5 países pilotos: Bolívia, Cambodja, Camarões, Filipinas e Ruanda. O PARIS21 está igualmente a colaborar com UNSD no seu processo de avaliação para a prontidão dos ODS em 6 países pilotos e modificou a ferramenta de modo a se adecuar a este processo. Para além disso, PARIS21 participou em vários seminários regionais em que apresentou esta ferramenta.

A ferramenta ADAPT foi modificada em função das necessidades manifestadas pelos países pilotos e continua orientada por países. A primeira metade de 2017 testemunhará a conclusão dos países pilotos e o desenvolvimento de uma versão online livre de modo que outros países possam aproveitar.

Existem actualmente dois modelos de planificação no software ADAPT: Plano Nacional de Desenvolvimento e Desenvolvimento Estatístico.
 
Plano Nacional de Desenvolvimento:

Avaliando o Quadro Lógico Nacional de Indicadores –Mapeando e reconciliando os indicadores regionais e globais –Recolha de Dados e planificação e orçamentação.

O módulo do Plano Nacional de Desenvolvimento (PND) começa com o plano de desenvolvimento actual normalmente definido pelo Ministério/Direcção de Planificação. O PND irá contemplar uma gama de indicadores que são reportados pelos sectores de modo a monitorar o progresso na consecução das metas e objectivos articulados no plano.

O sistema está baseado no indicador. Tudo começa com os processos envolvidos em assegurar que um indicador possa ser computarizado. O módulo avalia elementos diferentes tais como disponibilidade de dados; os mecanismos institucionais para o processamento de indicadores; e, o instrumento usado para garantir os dados para esse indicador.

De interesse especial é a capacidade de reconciliar indicadores regionais ou globais, tais como os ODS com os indicadores nacionais de modo a adecuar os requisitos de relatórios de agências externas às prioridades nacionais. Este processo de reconciliação centra-se na localização de indicadores globais ou regionais e criar um relatório sobre lacunas. Estas lacunas incluem: lacunas de dados; lacunas financeiras para a recolha externa específica sobre as quais um país compromete-se a relatar.

Uma vez as lacunas identificadas, realiza-se um processo para abordar as mesmas de modo a incluí-las no Segundo modulo do ADAPT: Desenvolvimento Estatístico.
 
Desenvolmento Estatístico:

Monitoria da ENDE–Orçamentação das actividades nos termos da ENDE – Planificação em todo sistema estatístico.

No centro do módulo de Desenvolvimento Estatístico, está a Estratégia Nacional para o Desenvolvimento de Estatísticas (ENDE).Quando as lacunas sobre relatórios dos indicadores de desenvolvimento tiverem sido identificadas, uma Estratégia Nacional deve ser desenvolvida para sanar essas lacunas.O módulo de Desenvolvimento Estatístico permite que o país defina as actividades e eventos associados à uma ENDE e orçamenta e faz a monitoria da sua implementação. A orçamentação do plano de desenvolvimento inclui as actividades detalhadas de recolha de dados definidas nos termos do Plano de Desenvolvimento Nacional. Isto pode compreender inquéritos, censos e sistemas administrativos (actualmente apenas censos e inquéritos têm um modelo para orçamentação/cálculo de custos). Para além das actividades de recolha de dados, eventos de capacitação individual em matérias de estatísticas podem ser planificadas e orçamentadas.

Um grande valor acrescentado do módulo do Desenvolvimento Estatistico é a capacidade de gerar ferramentas de elaboração de relatórios on-line e visualizações sobre a implementação da ENDE. Igualmente, funcionários responsáveis podem ser destacados para a implementação de actividades e elaboração de orçamentos específicos baseados em actividades. A ferramenta foi concebida para dar funcionários designados a capacidade de rapidamente visualizar a implementação e os indicadores de desempenho de uma ENDE.

Informação Regional:

Porque ADAPT é uma solução baseada em nuvem (cloud), os países podem optar em partilhar a sua informação ao seu critério. Isto promove efectivamente a interactividade entre técnicos de estatísticas numa base de par-a-par. Isto poderá ser útil na harmonização dos processos entre os países e permite a navegação em metadata importante entre os países. Para além disso, organizações regionais destacadas para a monitoria do desenvolvimento estatístico podem também manter um portifólio de países e analisar os planos de desenvolvimento do país e a avaliação de indicadores e ajudar no processo de harmonização das abordagens. A facilidade de partilha de informação em tempo real provou ser bastante útil e efectiva.

Integração:

A palavra chave para PARIS21 no desenvolvimento de ADAPT é integração. A integração de actividades de planificação nacional no desenvolvimento estatístico é vital. ADAPT ajudará no processo de integração e coordenação dos processos estatísticos que são importantes para elaboração de relatórios sobre o desenvolvimento de um país e reflecti-lo na ENDE.

2017 continuará a ser um ano de melhoramento do processo de fluxo da ferramenta. O trabalho com os países pilotos deve ser concluído até a primeira metade de 2017 com a disponibilidade da ferramenta e materiais de treinamento para aumentar no segundo semestre de 2017.

ADAPT é uma ferramenta baseada em nuvem (cloud) on-line e actualmente não está disponível como uma solução baseada em servidor no país. Vide http://www.paris21.org/ADAPT.